HDMI, TV a cabo e aterramento, todo cuidado é pouco

Nos dois primeiros posts aqui no blog eu iniciei uma “cruzada” pelos cuidados que devemos ter com os conectores de HDMI e o aterramento dos equipamentos de áudio e vídeo e se você não leu eu recomendaria que o fizesse.

Naquele momento eu deixei de lado um terceiro “vilão” da história que é o cabo da TV a cabo (desculpem a redundância).

Eu arriscaria dizer que o responsável por boa parte da “briga entre o marisco e o rochedo”, HDMI e TV a cabo, e que pode (eu disse pode, não disse vai) acabar danificando os equipamentos de modo “invisível para os olhos” é o aterramento, ou melhor, a falta dele ou um pseudo aterramento.

Infelizmente aqui na terrinha esta questão de aterramento, como tantas outras, ainda não é levada muito a sério.

Parafraseando Martin Luther King eu diria que “eu tenho um sonho” (aliás eu tenho vários) que “um dia o aterramento será levado a sério aqui entre os tupiniquins” e muitos prejuízos e mortes poderão ser evitados.

Mas, enquanto o sonho não vira realidade, o que podemos fazer para salvar nossos equipamentos da tragédia anunciada?

Antes de falar nas soluções “possíveis” que tal colocar mais um pouco de terror nesta história mostrando duas fotos de “desgraças” ocorridas em processadores de HDMI em um TV e um receiver que me foram fornecidas pelos técnicos da ASSINTEC.

Para um olhar não treinado como o de um técnico em eletrônica, à primeira vista, estas “marcas” poderiam passar desapercebidas ou na melhor (ou pior!) das hipóteses, o leigo julgaria tratar-se do efeito de uma bala perdida, já que estamos na Cidade Maravilhosa.

Entretanto, acreditem que a causa desta “pequena mácula” na face dos chips certamente pode estar num dos tópicos do título deste post ou quem sabe, até na combinação dos três se este não for seu dia de sorte.

E daí, poderia perguntar você, não foi só um “tiro de raspão”?

Troca-se o chip e está tudo resolvido, ou não?

Se pudéssemos mostrar aqui a “radiografia” destes chips veríamos que o estrago nos seus “órgãos internos” foi total e mais desgraça ainda pode estar por vir, uma vez que, como dizem por aí “nada está tão ruim que não possa piorar”, podemos ter e, quase sempre temos, efeitos colaterais na vizinhança do “chip furado” , mais uma vez, invisíveis para os olhos.

O que eu estou querendo dizer é que trocado o chip que diga-se de passagem não é barato, o que, mal comparando, é quase um trabalho de neurocirurgião, o “paciente” pode apresentar sequelas e outros chips e/ou peças terão que ser trocados.

O que fazer para prevenir e não ter que remediar depois?

Nos dois primeiros posts eu já dei algumas dicas, mas não custa repeti-las para que elas se tornem um mantra anti queima de aparelhos.

A primeira delas é quanto aos cuidados na instalação elétrica onde os “bichinhos” serão ligados.

A segunda dica que eu considero a mais importante é na hora do tira e bota do cabo HDMI. Muita calma nesta hora.

Desligue os “envolvidos” da tomada e quando eu digo “desligue” sou radical, “tire-os da tomada”.

Hein”! Mas isso dá muito trabalho! Concordo, então dá uma olhadinha na foto no início do post.

Convenci?

E agora falemos do cabo da tv a cabo onde podemos ter uma grande surpresa, diferença de potencial (para o leigo, tensão que dá choque) entre o terra do cabo (parte externa do conector) e o terra dos equipamentos, não deveria ocorre, mas, às vezes, ocorre.

E é aí que mora o perigo!

Uma solução que tem sido adota é colocar um dispositivo chamado isolador entre o cabo da NET e a entrada do receptor como mostrado na figura.

Se você me perguntar se a colocação deste “amuleto” entre o cabo e equipamento irá “exorcizar” todos os “maus feitores” que vem pelo aterramento (ou a falta dele) eu responderia que “talvez sim, talvez não”, mas como precaução e caldo de galinha não faz mal a ninguém eu fico com o isolador uma vez que “o que abunda não prejudica” como eu sempre digo.

A questão é bastante complexa e existem diversas causas envolvidas no processo e, nem sempre, é tão óbvio identificá-las, mas, sem dúvida, como eu já disse e repito prevenir é melhor que remediar a menos que você tenha ganho em primeiro lugar em todos os concursos do “azarado do ano” estas soluções irão salvar seus equipamentos e seu bolso.

Finalmente o que eu sugiro é que, se você não é do ramo, contrate um profissional qualificado para fazer a instalação por que nada é tão pertinente neste caso como o dito popular “o barato sai caro”.

Aguardo seus comentários e até sempre.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *