Som na caixa, mas sem queimar o amplificador

Este é um tópico que me parece valer a pena fazer alguns comentários que podem ajudar os usuários e amantes do som viverem felizes com seus receivers e amplificadores sem ter que mandá-los para assistência técnica por causa de uma “tragédia” que poderia ser evitada, aliás a maioria das tragédias quase sempre podem ser evitadas.

No afã de querer “espalhar” o som pelo ambiente todo, principalmente no dia do churrasco na beira da piscina, muitas vezes, o usuário e, às vezes, até alguns pseudo especialistas, saem ligando caixas e mais caixas nos bornes de saída do pobre amplificador ou receiver sem prestar a atenção numa “coisa” fundamental chamada impedância que é expressa em “ohms” e, certamente, todo mundo que “mexe” com som já ouviu falar.

Não irei esmiuçar aqui sobre este conceito e se algum “curioso avançado” quiser saber mais sobre o tema recomendo a leitura de “Resistência ou impedância, qual a diferença? ” cujo link deixo no final deste artigo.

Para usuários sem pretensões de ser técnico, basta saber que a “impedância em ohms” se refere a um dos parâmetros das caixas de som, ou melhor, dos alto falantes que estão dentro delas e que está intimamente relacionado à “potência de saída” que o amplificador ou receiver irá ou poderá fornecer as ditas caixas de som que os antigos audiófilos chamavam de sonofletor.

A tal impedância, bem como a respectiva potência, é mencionada no manual do equipamento (que nós brasileiros não somos muito chegados a ler) no tópico referente as especificações do mesmo.

Ligação das caixas em um receiver

Sou obrigado a concordar que nem sempre é muito fácil para um leigo interpretar as especificações que aparecem no manual, mas em alguns casos “o básico” está escrito junto aos bornes onde se deve ligar as caixas de som como aparece na figura abaixo, mas mesmo assim ainda pode ser “grego” para muita gente.

Se o equipamento foi comprado completo já com seu “kit de caixas” e ninguém se atreveu a querer pendurar umas caixinhas a mais não teremos problema, pois o fabricante já cuidou que as ditas cujas tivessem as impedâncias compatíveis com ele.

A coisa fica séria quando se adquire um equipamento de segunda mão ou avulso, por exemplo, e é preciso providenciar as caixas para ele separadamente e aí é preciso saber além da “potência em watts”, de “quantos ohms” deve ser as caixas.

Duas coisas que é preciso saber sobre impedâncias para ligar várias caixas

Existem duas formas básicas de ligar duas os mais caixas à saída de um amplificador ou receiver que tecnicamente são chamadas de ligação em série ou em paralelo.

Para explicar cada uma delas sem muita complicação técnica recorrerei ao provérbio chinês que diz “uma figura vale mais que mil palavras”.

Aqui, para simplificar o desenho, as caixas estão sendo representadas pelos alto-falantes que estão dentro delas.

Ligação de alto falantes em série e paralelo

O que é importante e suficiente você entender destas duas figuras é que no caso das caixas serem ligadas em série (figura da esquerda) a impedância total do conjunto será a soma das impedâncias de cada uma.

Por exemplo, duas caixas de 8ohms de impedância ligadas em série equivalem, para o amplificador, como uma única caixa de 16ohms, ou seja, a impedância do conjunto fica maior que a impedância de cada uma individualmente. Se tivéssemos três caixas de 8ohms o total seria 24ohms e assim por diante.

No caso de caixas em paralelo, que é o mais comum das pessoas fazerem, a conta é um pouco diferente.

Se tivermos duas caixas de 8ohms em paralelo o amplificador irá “enxergá-las” como apenas uma de 4ohms, ou seja, a metade do valor original.

Se fossem três iguais de 8 ohms teríamos aproximadamente 2,7ohms, ou seja, 8 divididos por 3. Reparou que a impedância está diminuindo?

E é aí que mora o perigo e mais adiante explicarei porquê.

Não vou tratar da conta para caixas em paralelo quando elas têm valores diferentes, mas quero que apenas você saiba que o valor da impedância do conjunto será sempre menor que o valor da impedância menor entre as duas.

Por exemplo, se ligarmos uma caixa de impedância 4ohms em paralelo com outra de 8ohms o conjunto dará um valor menor que 4ohms.

Preste atenção a este detalhe porque ele importantíssimo como explicarei a seguir.

Impedância das caixas versus potência do amplificador ou receiver.

O que você precisa saber, para evitar queimar seu equipamento, é que quanto menor a impedância das caixas que for ligada aos bornes do equipamento maior será a potência que ele irá fornecer.

Então, quer dizer que se eu quiser que o bichinho “fale mais alto” é só colocar um montão de caixas em paralelo, pois a impedância total vai diminuir e o som nas caixas vai ficar mais alto?

Vai sim, mas a alegria pode durar pouco, porque você certamente irá “queimar” seu equipamento se deixá-lo ligado “berrando” depois algum tempo caso faça isso.

O equipamento foi projetado para fornecer uma determinada potência sobre uma determinada impedância das caixas e se você não respeitar as especificações do fabricante e diminuir esta impedância “vai dar ruim” como dizem por aí.

E se usarmos uma impedância maior que a especificada?

Neste caso teremos um “volume de som” mais baixo, ou seja, menor potência, mas não corremos o risco de “fritar” os transistores ou circuitos integrados do equipamento, entretanto para conseguir isto com várias caixas teremos que ligá-las em série.

Um exemplo prático

Na figura onde mostramos os bornes de ligação dos “speakers” ou caixa de som como se diz em português temos as seguintes informações:

System 1 : 4 ~ 16 ohms

System 2 : 4 ~ 16 ohms

System 1 AND 2 : 8 ~ 16 ohms

Vamos destrinchar estas informações.

Primeiro vale informar que o “til” que aparece entre os nomes quer dizer que a impedância das caixas pode ser escolhida entre 4 a 16 ohms para os System 1 ou 2, mas entre 8 a 16 ohms para System 1 e 2 e esta é uma informação importante sobre a qual irei falar mais adiante.

O receiver do exemplo permite que se ligue dois conjuntos de caixas que são selecionáveis por uma chave no painel, designada por system 1, system 2 e system 1 and 2.

Por exemplo, o system 1 poderia ser para as caixas da sala, o system 2 para as caixas da varanda e se colocarmos a chave em system 1 and 2 teremos som nos dois ambientes ao mesmo tempo.

Na verdade, quando colocamos a chave na posição system 1 and 2 estamos colocando as caixas do system 1 em paralelo com as do system 2 e por isso que se quisermos usar esta opção o menor valor de impedância permitido deverá ser 8 ohms e não 4 ohms como nos casos individuais.

Confuso?

Até concordo que à primeira vista pode parecer confuso, mas é preciso prestar atenção a estes detalhes se quiser ter som no seu churrasco o tempo todo e sem que o receiver ou amplificador vire “picanha queimada”.

O objetivo do post não foi dar uma “aula” sobre o assunto, mas chamar a atenção para o problema e conscientizá-lo sobre questões que você talvez desconhecesse ou não estivesse atento a elas.

Se tem dúvidas de como interpretar as informações do manual consulte um técnico ou contrate-o para lhe orientar e fazer a instalação de forma correta.

Fique à vontade para fazer comentários e se na medida do possível tentarei esclarecer suas dúvidas.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *